O valor da mãe que ouve – Por Adriana L. Moreira

A comunicação honesta, integral e bíblica, custa caro. Conversa profunda leva tempo…

As crianças e adolescentes exigem tanto o tempo quanto a flexibilidade. Eles não costumam abrir seu coração ou se expor mediante uma reunião agendada. Pais sábios aproveitam cada oportunidade de conversação quando os filhos se mostram dispostos. De vez em quando se você ficar atenta vai perceber que seus filhos fazem comentários ou perguntas que revelam aspectos do seu coração.

É nesse momento que eles expressam interesse em compartilhar sobre seus assuntos pessoais e profundos, essa é a hora de largar tudo e aproveitar essa janela de oportunidade.

Precisamos ser mães que ouvem, senão perderemos as maiores oportunidades da nossa vida. Seja cuidadosa para não ouvir apenas a metade do que seus filhos tem a dizer.

A melhor forma de treinar e ensinar os seus filhos a ouvirem, é ouvindo-os ativamente. Algumas pessoas pensam que durante o tempo de ouvir é preciso logo dizer alguma coisa, ficam pensando no que vão responder em vez de apenas ouvir com paciência. Cuidado para não ser esse tipo de mãe que logo apresenta todas as respostas. O livro de Provérbios no capítulo 18, verso 2, usa uma expressão dura para nos ensinar sobre isso, ele lembra que o tolo não tem prazer no entendimento, mas em expor a sua própria opinião.

Não é fácil saber a hora de ficar em silencio ou dizer alguma coisa, mas ninguém disse que ser mãe seria fácil. Trabalhe nisso. De vez em quando pare e pense no que você ouviu, pense também sobre o que não ouviu.

A boa comunicação exige outros sacrifícios, os pais perdem ótimas oportunidades por sentirem-se cansados demais para continuar a conversa. E o resultado disso tem sido uma geração que prefere buscar companhia nas redes sociais. Se abrir com estranhos que muitas vezes dão conselhos que levam a caminhos de morte.

Esta é a hora de não se deixar vencer pelo cansaço, preocupações e correria do dia-a-dia. A maior necessidade dos filhos é a presença dos pais. Aproveite esse tempo e essa oportunidade.

Invista todas as suas energias a compartilhar sua vida, seus temores, sua fé e ensinar aos seus filhos a buscar esperança e conforto em Deus. Admita quando estiver errada e peça perdão.

Quando meu filho mais novo, Davi, começou a pular o berço, eu logo tratei de desmontar o berço e comprar uma cama segura pra ele. E acreditem, eu chorei porque me dei conta de que meu bebê já não cabia mais num berço… Está crescendo e o que passou até aqui, nunca mais vai voltar.

Nós só temos o hoje para amar nossos filhos, só temos hoje para ouvir e corrigir, só temos hoje para dizer que os amamos, só temos hoje para amar e aceitar, cada um deles, do jeito que são. O amanhã, a Deus pertence.

Então, não desperdice nenhuma oportunidade, seja com lutas ou sem lutas. Feliz ou triste, cansada ou descansada… você é alvo do amor de alguém que não sabe viver sem a sua presença. É por isso que te chamam de Mãe.

Adriana L. Moreira