Como Criar Filhos Responsáveis

Não importa a idade dos filhos, o instinto de preocupação, cuidado e amor estão no coração dos pais, sejam eles bebês ou adultos. O que causa essa ‘preocupação excessiva’ é o amor. Só o amor é capaz de fazer você colocar as necessidades de outra pessoa acima das suas. Quantas mães deixaram de fazer suas refeições nos primeiros meses de vida dos seus filhos? Quantas noites sem dormir, cuidando de uma febre sem explicação? Quantas idas ao mercado buscando frutas e legumes que tornariam as refeições mais saudáveis?

A lista não para por ai… eles crescem e então as preocupações são outras. Que horas eles voltarão pra casa? Quem são as companhias que os estão influenciando? Porque eles tem feito escolhas tão diferente do que imaginávamos que fariam?

Um sentimento de urgência leva os pais a quererem fazer mais do que simplesmente esperar que seus filhos se tornem adultos responsáveis. Estimula-os a agir de maneira prática, moldando o caráter dos filhos de forma positiva ou negativa.

Seus filhos sabem quais são as suas responsabilidades? Muitos podem até saber, mas quantas vezes você precisa lembrá-los de verificar se tem o material escolar completo? Se desligaram a tv ou secador de cabelo da tomada? Se vai ter prova amanhã?

Nossos filhos sabem como agir, porém, ainda não tem o senso de urgência que nós pais temos e esse senso de urgência é o que nos impulsiona a agir. Muitas vezes vemos as situações como pais, e em nosso senso de urgência, nos precipitamos na tentativa de resolver o problema. Queremos consertar tudo na hora, de uma vez. Muitas vezes porém nos frustramos porque o resultado não é exatamente o que esperávamos.

Precisamos transferir esse senso de urgência aos nossos filhos, e não apenas isso. Mas o Princípio do autogoverno que nos capacita à refletir, pensar antes de se precipitar em falar ou fazer alguma coisa. Lembrar os filhos constantemente sobre o que devem fazer ou dizer não somente frustra os pais como priva as crianças e jovens da motivação de completar uma tarefa sozinhos. Agir dessa forma tira deles qualquer incentivo para pensar por conta própria, afinal, pensar é um pré-requisito para um comportamento responsável.

De forma prática, como devemos passar aos nossos filhos o “ manto de responsabilidade” não consiste em apenas parar de dar lembretes e sermões, devemos observar alguns fundamentos que precisam ser estabelecidos.

1. Nunca peça a seus filhos que assumam uma responsabilidade até que tenham idade suficiente para identifica-la, sabedoria para controla-la e experiência para lidar com ela.

2. Seus filhos sabem o motivo por que devem demonstrar uma boa educação, como “ por favor” e “ obrigado”?

3. São claras as suas responsabilidades em casa e na escola? Que tarefas sabem estar a seu cargo?

4. Relembrar os filhos acerca de suas tarefas não os as ensina a realiza-las por conta própria.

Basicamente ensinar os filhos a liderar com responsabilidade é um processo de três etapas:

Primeiro, deve-se definir expectativas específicas de comportamento. O que você quer que seus filhos aprendam ou façam?

Segundo, dêem a eles algum tempo para assimilar o novo comportamento. Pode demorar até se familiarizarem com suas expectativas.

Terceiro, tomem cuidado para definir atitudes apropriadas para cada idade.

Seus filhos estarão maduros e responsáveis quando chegarem da escola e for claro a eles onde o material deve ser colocado. Que horas as tarefas devem ser feitas, sempre que alguém lhes fizer uma gentileza, dizer ‘obrigado’, ou ‘por favor’.

Tudo isso começa em casa. Quando os ensinamos a valorizar e a agradecer pelo alimento que está na mesa, pela roupa limpa e cheirosa. Sendo que a organização delas no guarda-roupa é responsabilidade deles.

Vamos pensar sobre isso e criar filhos responsáveis. Deus confiou eles a nós e conta que faremos um bom trabalho na formação e educação deles.

Por Adriana L. Moreira.