Vida e Obra de Monteiro Lobato

Dia 18 de Abril, comemoramos o dia nacional da literatura infantil, ou mais conhecido como “Dia de Monteiro Lobato”. Esta data foi escolhida como homenagem a Monteiro Lobato.

As turmas da Educação Infantil ao 5º ano matutino e vespertino, em suas visitas à Biblioteca, desfrutaram da história da vida do escritor Monteiro Lobato e suas principais criações, sendo possível compreender a relação das suas criações com a sua vida, principalmente sua infância.

Além da vida de Lobato, trabalhamos a sua obra de maior destaque, o “Sítio do Pica-pau Amarelo”. A partir da obra trabalhada, nossos alunos conheceram o gênero textual que compõem a narrativa, o contexto cultural histórico que estava inserido o conto, e as individualidades dos principais personagens, sendo eles: a Emília, a Tia Nastácia, a Dona Benta, a Narizinho, o Pedrinho, o Visconde e o Rabicó.

Para alegria de todos, recebemos a visita especial da Emília, uma das principais personagens do Sítio. Ela contou uma de suas aventuras com sua turma, as famosas caçadas de Pedrinho – “E era onça mesmo!” e “A volta para casa”.

Monteiro Lobato, o puxa-fila da humanidade

De acordo com a biografia estudada em nossa biblioteca, Monteiro Lobato foi um grande sábio, ou mais conhecido pela Dona Benta “o puxa-fila da humanidade”.

O nome de nascimento de Monteiro Lobato foi José Renato Monteiro Lobato, mas por causa de uma bengala de seu pai, com iniciais no castão (JBML), é que mudou para José Bento Monteiro Lobato. Nasceu em Taubaté, em São Paulo, em 1882, filho de José Bento Monteiro Lobato e de dona Olímpia Augusta Monteiro Lobato. Era neto do visconde Tremembé.

Antes de completar dezoito anos, ingressou na Academia de Direito de São Paulo e se formou em 1904. No ano de 1908 se casou com dona Maria Pureza da Natividade, em 1909 começou a trabalhar no conto “O Boca Torta”, que seria o primeiro de uma série de contos que foram reunidos sob o nome de Urupês. Em 1911, já com dois filhos, herdou de seu avô a fazenda Buquira, para onde se mudou. Com a mesma paixão que se dedicou a todas as coisas, transformou-se em fazendeiro.

Em 1917, Monteiro Lobato vende a fazenda e muda-se para capital de São Paulo. Compra a Revista do Brasil e publica em 1918, seu primeiro livro, Urupês. Com a publicação de Urupês inicia-se a carreira de Editor. Além de diversas obras publicadas, em 1921, Monteiro Lobato começa a criação da série “Sítio do Picapau Amarelo”, que teve início a partir da literatura Lúcia, a Menina do Nariz Arrebitado e mais tarde, complementou com mais 22 publicações de literaturas fantásticas.

Além de publicar seus próprios livros, Monteiro Lobato lançou outros autores brasileiros e estrangeiros, e foi tradutor e adaptador de obras que ele julgava importante.

 

Intenção de Matrícula

Intenção de Matrícula