Professora do Shalom defende dissertação de mestrado

Um dos princípios trabalhados através da Abordagem Educacional por Princípios é o de Semear e Colher, quando esse princípio é aplicado com sabedoria pode-se colher bons frutos.

Nossa professora de Língua Portuguesa, Luciane Trigo, também ex-aluna do Shalom, colheu os frutos de uma semeadura que durou dois anos. No dia 25 de fevereiro, ela apresentou sua dissertação do mestrado na FURB – Universidade Regional de Blumenau. O tema da pesquisa foi: O que as paredes da escola contam sobre desenvolvimento profissional docente? Uma leitura com um coletivo em formação inicial.

A Comissão Organizadora do IV Encontro Luso-Brasileiro Trabalho Docente e Formação de Professores informou que o trabalho da nossa professora Luciane Trigo foi aceito para a apresentação no evento que terá lugar no Instituto de Educação da Universidade de Lisboa nos dias 3, 4 e 5 de junho de 2019.

Acompanhe a entrevista com a professora Luciane sobre o período de estudos do mestrado:

1- Como foi o processo de escolha do tema de pesquisa?

O meu processo de mestrado levou 24 meses, por curiosidade e por conversas com amigos aqui no Colégio Shalom eu escolhi a linha de pesquisa em formação de professores. A partir disso, em parceria com minha orientadora Daniela Tomio, eu escolhi um tema de pesquisa, optei por estudar a formação inicial dos professores na universidade, como eles percebem sua formação e como eles são formados. Para isso, desenvolvi um percurso de pesquisa em que os professores fotografaram e discutiram a respeito de murais das escolas. Esses professores liam juntos as fotos que eles faziam em um grupo colaborativo, esse foi um método de pesquisa que nós utilizamos. Os primeiros projetos que eu fiz não foram esse de leitura de murais. O primeiro projeto eu precisei engavetar e recomeçar tudo do zero duas vezes, foram dois projetos diferentes. Trabalho, pesquisa e ciência é isso, precisamos fazer e refazer, testar e testar outra vez.

2- Quais foram as maiores dificuldades que você enfrentou durante o mestrado?

O mais difícil foi o fato de estudar e trabalhar ao mesmo tempo. Algumas pessoas têm dedicação exclusiva, passam os dois anos somente estudando porque realmente é muito difícil conciliar os dois. Então, o Colégio Shalom organizou meu horário de trabalho de maneira diferente, com uma carga horária um pouco mais flexível para que eu pudesse voltar a estudar. A escola foi muito parceira nesse sentido, sempre foi muito motivadora e incentivadora.

3- Como foi o dia da apresentação da sua dissertação do mestrado?

Depois desses dois anos eu tive meia hora para apresentar, defender publicamente os resultados de minha pesquisa. Esse foi o momento de me apresentar como uma pesquisadora. Foi muito importante no dia da apresentação ver meus colegas do Colégio Shalom, meus pais, meus amigos, pessoas do meu grupo de estudos, do mestrado e até sujeitos da pesquisa.

4- Qual é o sentimento ao chegar no final dos estudos?

Hoje eu me sinto aliviada pelo fato de não ter mais uma carga de estudo e trabalho ao mesmo tempo. Me sinto muito grata também pelo processo. Agora eu consigo entender algumas questões dos meus alunos de maneira ainda mais sensível, porque pude relembrar como é ser estudante.

5- Qual é a mensagem que você gostaria de deixar registrada?

Eu penso que a vida acadêmica ou a vida de pesquisadora não pode excluir o que é ser gente, ser humano. Essa foi a minha consideração ao longo e ao término desse percurso. Também penso que professor sempre precisa estudar, qualquer que seja a forma. Seja mestrado, curso de especialização, cursos que a escola nos oferece também são formas de continuar estudando e a nós precisamos sempre fazer isso, até para inspirar nossos alunos.

Intenção de Matrícula

Intenção de Matrícula